A vida e as obras teológicas de Rubem Alves | Blog Unigran Net

“Há escolas que são gaiolas. Há escolas que são asas”.

“Deus é leve e ri”.

“Mas na profissão, além de amar tem que saber”.

“Todas as palavras tomadas literalmente são falsas.”

Essas são apenas algumas das famosas frases de Rubem Alves. Este que é um dos grandes intelectuais brasileiros e autor de brilhantes obras teológicas.

Educador, escritor, psicanalista, teólogo e filósofo, Rubem Azevedo Alves nasceu na cidade de Boa Esperança/MG, em setembro de 1933 e faleceu em Campinas/SP em julho de 2014. Ainda criança, ele foi morar com uma família de presbiterianos, no Rio de Janeiro.

Quer saber mais sobre esse versátil e talentoso escritor? Confira, então, algumas informações sobre Rubem Alves e suas obras teológicas!

A formação acadêmica e a sua experiência como pastor

Rubem Alves cursou teologia no Seminário Presbiteriano de Campinas/SP e atuou como pastor na cidade mineira de Lavras até 1963. Nesse ano, ele foi para Nova York fazer mestrado em Teologia.

Porém, ao voltar para o Brasil em 1968, foi acusado de ter ideias socialistas. E então sofreu perseguições dentro de sua própria igreja e depois, do regime militar. Rubem Alves, então, retornou para os EUA com a família onde cursou doutorado em Filosofia.

Enfim, voltou ao Brasil nos anos 70. E já na década de 80 acrescentou mais um título a seu extenso currículo, tornando-se psicanalista pela Sociedade Paulista de Psicanálise.

A carreira de Rubem Alves

É importante citar que Rubem Alves lecionou em algumas Instituições de Ensino. Principalmente nas áreas de Teologia, Filosofia e Letras.

Isso porque, além de possuir vários títulos acadêmicos e ter lecionado em várias universidades, Rubem Alves teve mais de 160 livros publicados. Em sua obra vasta e eclética, é possível conferir de clássicos infantis a temas teológicos, filosóficos e pedagógicos.

Além disso, Rubem Alves tinha paixão pela culinária. Tanto que, após a sua aposentadoria acadêmica, ele abriu um restaurante em Campinas onde também recebia shows musicais e eventos relacionados à arte.

Suas obras teológicas

Você se interessa por teologia e está pensando em se dedicar ao estudo desse tema tão instigante? Aproveite, então, para ler, aqui, o resumo de cinco obras teológicas desse escritor que conquistou a admiração e o respeito de críticos e leitores dentro e fora do Brasil!

1. Por uma Teologia da Libertação (1969)

O livro resulta da tese de doutorado do escritor. E por sugestão do editor foi publicado originalmente com o nome “Teoria da Esperança Humana”, a fim de fugir das críticas da sociedade da época. Mesmo com a mudança do nome, a publicação desse livro só foi liberada no Brasil em 1987, com o fim do regime militar.

Nesta obra teológica, o autor propõe que a teologia seja utilizada para a humanização do ser humano. A obra denuncia o efeito de desumanização provocado pela sociedade tecnológica da época. Nessa obra, ele também critica os principais teólogos daquele momento.

Para Rubem Alves, as teorias desses teólogos não levavam a sério a necessidade da participação do próprio homem no seu processo de libertação. Enfim, o autor sugere que a libertação do ser humano está ligada ao fato das pessoas saberem aproveitar a vida com prazer e alegria.

2. Religião e Repressão (1982)

Nessa obra o escritor analisa o protestantismo e narra sua visão desse mundo, expondo as suas considerações de forma crítica e forte. Rubem Alves trata de temas doutrinários e dá a sua opinião sobre a religião e a igreja.

3. Pai Nosso — Meditações (1987)

O livro foi escrito em onze capítulos no formato de poesia em prosa. Em nove desses capítulos, o autor convida, de forma lírica, o leitor a fazer uma meditação sobre a oração do Pai Nosso que foi ensinada por Jesus.

Esse livro escreve sobre o silêncio e as diversas denominações divinas. A obra destaca, ainda, citações feitas por grandes personalidades como Guimarães Rosa, Fernando Pessoa e Nietzsche, além de citações da Bíblia.

4. Teologia do Cotidiano (1994)

Em uma linguagem bem-humorada e cheia de poesia, Rubem Alves nos convida a refletir sobre a vida. Ele analisa desde acontecimentos como a morte de Ayrton Senna e ainda critica o consumismo.

O autor ressalta o fato de o consumismo nem sempre estar ligado à alegria, à paz e ao amor. Como exemplo dessa influência, o escritor cita inclusive, a boneca Barbie.

Na segunda parte do livro, o escritor expõe temas mais profundos como a existência de Deus, a oração, a reencarnação e os propósitos da vida. Ele ainda tece considerações sobre o fim do ciclo da vida e lança uma visão serena sobre a morte.

5. O Deus que conheço (2009)

Rubem Alves ainda utiliza nesta obra a sua teologia típica para explanar, com autenticidade, sobre o sagrado. Sendo assim, ele intercala humor e lirismo ao expor a sua crença.

No entanto, em momento algum ele tentar persuadir ou converter o leitor. O escritor fala da sua admiração pela beleza encontrada no mistério divino e mostra as incoerências existentes no pensamento teológico oficial. Nessa obra, Rubem Alves também faz um esboço do divino em nossa vida diária.

Enfim, com uma mensagem direta e as vezes romântica, em suas obras teológicas, Rubem Alves nos estimula a pensar e refletir sobre as nossas relações com aquilo que é do espírito.

Ele tenta explorar o sentimento humano e entender a natureza da sua alma, nos convidando a mergulhar no mundo da teologia.

Rubem Alves

E então, gostou de conhecer melhor a vida e as obras teológicas de Rubem Alves? Quer seguir o exemplo dele e ter uma carreira em Teologia? Aproveite para descobrir mais sobre o curso de Teologia!


Postagens Relacionadas