Storytelling: crie histórias encantadoras | Blog Unigran Net

Storytelling é uma daquelas palavras do momento. Essa abordagem é voltada para contar uma espécie de história que encanta em todos os aspectos (roteiro, elementos audiovisuais, atuação, etc.). 

Geralmente, é uma técnica empregada no meio publicitário para apresentar os produtos e serviços de um anunciante. Sua popularização se deve à necessidade das marcas inovarem na divulgação de suas soluções.

Ao mesmo tempo, dada a verdadeira febre que se tornou o storytelling, observamos sua aplicação em outros meios. Seja na apresentação de relatório de metas, na construção do conceito de uma marca, em publicações em redes sociais ou em dezenas de outros contextos. 

Quer saber mais sobre essa técnica incrível? Então, confira o post de hoje e conheça os principais elementos que compõem o storytelling. 

Mensagem personalizada e relevante

Regra número 1 do storytelling: ser relevante para o público. Afinal, é preciso deter a atenção da pessoa e contar uma história com início, meio e fim. Sem que o público se perca ou desista em alguma dessas etapas. 

Mas como apresentar algo que realmente interessa? 

Para isso, é muito importante criar uma narrativa com tema, público-alvo, época e contexto. Além de outros elementos que façam sentido para o objetivo e chamem a atenção do interlocutor. 

Assim, com a estrutura base bem definida, será mais fácil para gerar identificação. Os recursos audiovisuais entram em conjunto para ajudar a contar sua história de forma mais atrativa.

Abordagem diferenciada

O que diferencia o storytelling é a forma como a mensagem é apresentada. Isso porque não há uma preocupação em expor a compra de maneira direta, como acontece em propaganda de varejo. Nessas, há em primeiro plano as soluções da empresa ou o incentivo da compra, por meio de descontos expressivos e preços atraentes. Já em conteúdos com storytelling a aparição do produto ou serviço é feita de maneira sutil.

Caso Dove

Para que tudo fique mais claro, confira este exemplo de storytelling da Dove, em que todas os elementos já indicados até aqui podem ser melhor observados:

Dove – Retratos da Real Beleza

O vídeo possui características do storytelling pois consegue envolver o receptor de forma suave, sem que ele perceba que está sendo conduzido pela história. O envolvimento emocional é tido como elemento surpresa. Considerando que a venda direta é o mais esperado em uma publicidade. 

A identificação do leitor acontece quando vemos os convidados se descreverem, e acabam, quase inconscientemente, dando destaque a aspectos negativos da fisionomia. Afinal, quantas vezes você pensou em se descrever assim? Quantas vezes você viu coisas negativas em frente ao espelho? 

Claramente, o objetivo principal do vídeo foi trabalhar a auto-estima. A Dove buscou um problema existente, transformou em objetivo e com o vídeo convidou todos a serem mais carinhosos com seu próprio reflexo. 

Ao mesmo tempo, não há uma promoção contundente do produto, muito pelo contrário. Apenas o fechamento do vídeo apresenta a marca.

Caso Itaú

Em outra peça, de Feliz 2017 da Itaú, também percebemos a construção da narrativa de forma muito clara. Logo no início temos a narração da atriz Fernanda Montenegro, que possui a voz de uma mulher experiente, conhecida do público-alvo. 

Inclusive, a trilha sonora do vídeo também é parte importante desse vídeo. Em conjunto com a imagem, é capaz de provocar verdadeiras emoções. Considerando que “tempo” é o tema do vídeo, as cenas incluem idosos, homens, mulheres e crianças, em diversas situações da vida, boas e ruins. 

Itaú – O tempo

Trata-se de uma propaganda puramente institucional, já que nada se fala ou mostra sobre uma instituição financeira, apenas a assinatura final da marca. De forma discreta, é passada a mensagem de termos um bom banco para resolver problemas, e assim, aproveitar mais os bons momentos.

Mobilização de elementos da realidade no storytelling

Trazer elementos da realidade para sua história também é algo muito positivo. Afinal, um storytelling com personagens e histórias reais, narrativas que apoiem a diversidade, tem maiores chances de despertar empatia no público que passa a se enxergar na tela. 

E como se sabe, essa identidade entre marca e consumidor é o que qualquer empresa deseja. O mesmo vale para outros contextos em que o storytelling é aplicado. Em uma apresentação institucional, por exemplo, que executivos falam para potenciais investidores, o que se quer é vender a ideia de um negócio encantador e próspero.

Enfim, como você pôde perceber no post de hoje, o storytelling é uma técnica empregada para contar uma boa história e encantar seu público. 

Essa é uma abordagem amplamente utilizada desde muito tempo. Embora o termo tenha sido concebido recentemente, remonta a prática secular de mobilizar algumas narrativas para “vender” uma ideia.

E agora que você já sabe tudo sobre storytelling, que tal conhecer a graduação em Produção Publicitária da Unigran Net? Entre em nosso site e confira de perto o funcionamento desse curso que pode ser a sua cara!


Postagens Relacionadas